Você sabe quais são as principais causas da perda auditiva e quem é o médico de ouvido?

As perdas auditivas podem ter inúmeras causas, dentre elas destacam-se: a exposição à ruídos, às drogas tóxicas, causas hereditárias, virais, bacterianas, circulatórias, mecânicas (exemplo rolha de cera, corpo estranho de ouvido), neurológicas. O médico de ouvido é o otorrinolaringologista, que é responsável pelo diagnóstico e tratamentos de inflamações, infeções, zumbidos, desequilíbrio e tonturas e outros tipos de problemas na região.

Dependendo da causa, estas perdas podem ser reversíveis ou irreversíveis.

Ocorre isolada ou associada a outros sintomas como tontura, ou zumbido. Podem ser leves, moderadas, graves ou severas. Esses problemas devem ser avaliados por um médico de ouvido.

Para cada tipo de perda auditiva, existem tratamentos adequados: uso de medicamentos, remoção de cera, uso de aparelho auditivo, cirurgias etc.

A preservação da boa audição é fundamental para a qualidade de vida, para as relações interpessoais e para a saúde do sistema neurológico.

Existem hoje em dia, vários trabalhos científicos que relacionam as perdas auditivas a doenças neurológicas, como Alzheimer e outras demências. Por isso, é de grande importância o seu tratamento precoce com o médico de ouvido.

Zumbido

O que é?

O zumbido é um “barulho” nos ouvidos, quando não há nenhum ruído presente. Pode se parecer com um apito, chiado, panela de pressão, cigarra, grilo, cachoeira, escape de ar, motor de geladeira, tum-tum-tum etc. Ao contrário do que muita gente pensa, o zumbido não é uma doença, mas sim um sintoma, que aparece por causa de diversas doenças. O zumbido é muito mais frequente do que imaginamos, 15 a 17% da população mundial têm esse sintoma. Sua frequência é maior nos idosos.

sintomas da perda auditiva

Quais são as causas?

As causas podem estar nos ouvidos, próximas a ele ou a distância.
» CAUSA NOS OUVIDOS E PRÓXIMAS: Exposição ao barulho, infecções nos ouvidos, acúmulo de cera, presbiacusia (envelhecimento natural do ouvido), lesões no ouvido por uso de medicamentos tóxicos, alterações no nervo auditivo (neurinoma do acústico – alterações na camada que envolve os nervos mielina), alterações cerebrais (derrames, traumatismos cranianos, etc.)
» CAUSAS A DISTÂNCIA: Problemas na coluna cervical, alterações na ATM – Articulação Tempo mandibular, oscilações de pressão arterial, arritmia cardíaca, distúrbios da tireoide, doenças psicológicas (depressão, ansiedade, síndrome do pânico), erros alimentares – grandes intervalos entre as refeições, abuso de doces, alimentos gordurosos, cafeína.

Impacto na qualidade de vida

Para algumas pessoas, o zumbido quase não incomoda; para outras, é muito estressante e atrapalha a qualidade de vida.
Às vezes, o zumbido dura 24 horas por dia!
Assim, pode atrapalhar o sono, diminuir a concentração no trabalho ou na leitura, deixar a pessoa mais ansiosa, irritada ou deprimida.

Zumbido é sinal de alerta!

O zumbido avisa que algo que você não sabe ou que não deu importância, está acontecendo.
Se você tem zumbido, procure um otorrinolaringologista.

TRATAMENTO

A melhor estratégia é tratar primeiro as causas reversíveis e controláveis, e reavaliar o zumbido após algum tempo. A abordagem clínica pode incluir dietas restritivas e fracionadas, correção de erros alimentares, medicações, fisioterapia, tratamento com o dentista para corrigir problemas na articulação da mandíbula, avaliação psiquiátrica, psicoterapia.
Os diversos medicamentos disponíveis no mercado podem melhorar o zumbido em até 50% dos casos. Quando a perda auditiva é tão importante quanto o zumbido, a adaptação de aparelhos de audição ou próteses auditivas pode melhorar não só a capacidade de ouvir por meio da ampliação dos sons, como também diminuir a percepção e o incômodo do zumbido.

Para pacientes com surdez profunda, o implante coclear (conjunto de eletrodos inseridos no interior da orelha) pode ser uma alternativa terapêutica.

Para os casos em que o zumbido incomoda e ou interfere na qualidade de vida a TRT (Tinnitus Retraining Therapy ou Terapia de Habituação do Zumbido) pode ser usada. Trata-se de um método de tratamento que visa diminuir a percepção do zumbido por meio de dois princípios básicos: aconselhamento terapêutico e enriquecimento sonoro. Este último pode ser feito com gerador de som individual.

Outras estratégias também podem ser adotadas como BIOFEEDBACK (técnica de relaxamento que ensina a controlar as reações do corpo ao estresse) e terapia cognitiva (aconselhamento baseado no tratamento e no ajuste das reações emocionais dos comportamentos negativos e dos padrões de pensamentos relacionados ao zumbido).

O que é o Implante Coclear?

O Implante Coclear, conhecido popularmente como ouvido biônico, é um dispositivo auditivo eletrônico de alta tecnologia capaz de substituir as funções das células do ouvido interno, trazendo de volta a audição.

Diferentes dos aparelhos auditivos que amplificam os sons, o implante coclear restaura a capacidade de captar e compreender o som. Com o implante coclear, o som passa direto pela parte danificada do ouvido estimulando diretamente o nervo auditivo, possibilitando uma percepção auditiva clara, especialmente aos sons da fala.

O Sistema de Implante Coclear é composto por um:

Componente interno

– Formado pela antena receptora, um microchip e um feixe de eletrodos

Componente Externo

– Composto pelo processador de som, disponível nos modelos Retro auricular e Extra auricular.

A comunicação entre o componente externo e o componente interno ocorre via radiofrequência.

A unidade interna é inserida através de um procedimento cirúrgico e após aproximadamente um mês, é ligada a unidade externa, trazendo para sua vida o prazer de escutar e se relacionar.

Quais são os Benefícios de um Implante Coclear?

Alguns benefícios relatados são:

– Melhora dos níveis de audição normal.
– Desenvolvimento de fala e linguagem compatíveis com a idade.
– Aumento da confiança em situações sociais.
– Melhoria da comunicação com a família, amigos e professores.

Quem pode se beneficiar do Implante Coclear?

Pessoas que apresentam uma perda de audição do tipo sensório-neural de grau severo a profundo e/ou profundo nos dois ouvidos. Em geral, pessoas que não obtiveram resultados com aparelhos auditivos convencionais são fortes candidatos ao implante coclear.

Lembrando que um processo importante que não podemos deixar de comentar, é a reabilitação auditiva após a realização da cirurgia. Essa etapa visa maior integração do sistema auditivo com as novas informações sonoras o que é fundamental para o desenvolvimento auditivo e o aprendizado da linguagem.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *